Diminuir a fonteAumentar a fonte 24/06/2011
Quando a prosperidade descarta Jesus Cristo
por Cezar Andrade Marques de Azevedo

www.cezar.azevedo.nom.br

E também houve entre o povo falsos profetas, como entre vós haverá também falsos doutores, que introduzirão encobertamente heresias de perdição e negarão o Senhor que os resgatou, trazendo sobre si mesmos repentina perdição. E muitos seguirão as suas dissoluções, pelos quais será blasfemado o caminho da verdade; e, por avareza, farão de vós negócio com palavras fingidas; sobre os quais já de largo tempo não será tardia a sentença, e a sua perdição não dormita. (II Pd 2.1-3)

Hoje tive a oportunidade de ouvir Mike Murdock. O que ouvi foi um recorte acerca do modo como ele expõe o fundamento de sua fé, a base por meio do qual ele construiu seu ministério. O Pastor Silas Malafaia aconselhou que, ao ouvir Mike Murdock, deveria ser tomado uma caneta e papel para anotar o que ele haveria de fazer. Depois de comentar a importância de seguir o caminho da alegria e paz, Mike comenta acerca de seu novo livro: “As 7 Leis que Garante o Seu Sucesso”.

Segundo Murdock levou muitos anos para descobrir a diferença entre a pessoa de Jesus e os seus princípios. Mike enfatiza então que a pessoa de Jesus nos prepara para a eternidade, mas as leis de Deus, os princípios, os estatutos, preparam-nos para viver na terra. Murdock prossegue dizendo que primeiro ele prestou atenção quando seu precioso pai, um grande homem de intercessão, orava de quatro a dez horas por dia, mas ele não tinha nenhum dinheiro. Mike prossegue dizendo que quando ele quis ir para a escola bíblica, o seu pai não podia pagar para ele ir a escola bíblica. Ele, para se sustentar, começou a vender mensagens em fitas cassetes. Então ele ficou ali a pensar como podia um homem a quem Deus ama ficar tanto tempo orando, como fazia seu pai, e não ter dinheiro? E como pode homens que não crêem, que jogam, que amaldiçoam e bebem terem bastante dinheiro?

Após fazer a pergunta, Murdock vai desfazendo algumas respostas de imediato ao dizer que a resposta que usualmente os cristãos usam para explicar esta discrepância é que haveremos de chegar ao céu e eles vão para o inferno. Todavia Mike não concordava com esta resposta, então ele perguntou ao Espírito Santo que ele queria conhecer o segredo do sucesso neste mundo. Para Murdock sucesso é quando um alvo é obtido e a prosperidade é ter as finanças necessárias para alcançar o alvo proposto. Depois de pesquisar muito na palavra Murdock percebeu que quando ele tinha uma perca na vida, ele havia quebrado uma lei. Segue então apresentando uma série de leis que, uma vez obedecida, o resultado é a prosperidade. Assim Mike percebeu que quebrar leis implica em fracasso, portanto obediência às leis divinas resulta necessariamente em prosperidade. Após declarar quais foram as premissas que guiaram ele na busca do sucesso, prossegue ensinando suas leis, as quais entende ser princípios divinos inexoráveis.

Há um texto em provérbio muito interessante, que se aplica ao ímpio. O terrível é que este texto pode ser aplicado, em certo sentido, ao cristão também. Para que se entenda porque o texto teria esta dupla aplicação, precisamos ler outro texto no Novo Testamento, do qual diz:

“Pelo que diz: Desperta, ó tu que dormes, e levanta-te dentre os mortos, e Cristo te esclarecerá.” (Ef 5.14)

O apostolo Paulo exorta a igreja a se despertar do seu sono. Ao comparar o estado da igreja de Éfeso, Paulo compara alguns cristãos dentro dela a alguém que dorme do mesmo modo em que os mortos, por certo estes mortos são os ímpios, aqueles que não têm conhecimento de Deus. A pergunta que deve ser feita é: por que razão os crentes estariam dormindo? Encontramos esta resposta no livro do profeta Isaias, no qual diz:

Porque o SENHOR derramou sobre vós um espírito de profundo sono e fechou os vossos olhos, os profetas; e vendou os vossos líderes, os videntes. Pelo que toda visão vos é como as palavras de um livro selado que se dá ao que sabe ler, dizendo: Ora, lê isto; e ele dirá: Não posso, porque está selado. Ou dá-se o livro ao que não sabe ler, dizendo: Ora, lê isto; e ele dirá: Não sei ler. Porque o Senhor disse: Pois que este povo se aproxima de mim e, com a boca e com os lábios, me honra, mas o seu coração se afasta para longe de mim, e o seu temor para comigo consiste só em mandamentos de homens, em que foi instruído; eis que continuarei a fazer uma obra maravilhosa no meio deste povo; uma obra maravilhosa e um assombro, porque a sabedoria dos seus sábios perecerá, e o entendimento dos seus prudentes se esconderá. (Is 29.10-14)

A partir do profeta Isaías entendemos a exortação de Paulo, o que faz a igreja entrar em profundo estado de sono é o fato de seus líderes religiosos estarem ensinando mandamentos forjados em raciocínios ou falácias humanas. Assim, por estarem dormindo como os mortos, a palavra de provérbios dada aos ímpios também se aplicam a estes líderes. Está escrito:

“O caminho dos ímpios é como a escuridão; nem conhecem aquilo em que tropeçam.” (Pv 4.19)

Murdock está tropeçando em pedras sem sequer perceber em que pedras esbarrou. A pior de todas as pedras da qual alguém pode tropeçar, a mais terrível dela, aquela a qual nenhum homem jamais pode dar uma topada, esta pedra é Jesus Cristo. Está escrito:

Diz-lhes Jesus: Nunca lestes nas Escrituras: A pedra que os edificadores rejeitaram, essa foi posta por cabeça do ângulo; pelo Senhor foi feito isso e é maravilhoso aos nossos olhos? (Mt 21.42)

Mike Murdock já iniciou sua fala declarando com todas as letras que tropeçou nesta pedra. Ele deu um solene chega para lá em Jesus Cristo, nosso Senhor. Note a declaração dele, para Mike Murdock Jesus Cristo é a pessoa que nos prepara para a eternidade, mas as leis de Deus, os princípios, os estatutos, preparam-nos para viver na terra. Só esta declaração já seria suficiente para discernir que estamos diante de um falso profeta. Murdock, na cara dura, solenemente restringiu o ministério de Jesus Cristo à esfera celestial, contrapondo as leis divinas como sendo o guia para andar na terra. Só me lembro de outro ser na Bíblia que foi capaz de fazer tão insensata declaração, em um primeiro instante parecia ter sido o próprio apóstolo Pedro, mas o Senhor Jesus rapidamente desmascarou a verdadeira fonte da insensatez:

E Pedro, tomando-o de parte, começou a repreendê-lo, dizendo: Senhor, tem compaixão de ti; de modo nenhum te acontecerá isso. Ele, porém, voltando-se, disse a Pedro: Para trás de mim, Satanás, que me serves de escândalo; porque não compreendes as coisas que são de Deus, mas só as que são dos homens. (Mt 16.22,23)

O Senhor Jesus discerniu na proposta de Pedro, o qual aconselhou a Jesus evitar a cruz, que somente Satanás poderia estar tão interessado em perpetuar a vida neste mundo, pois só entende as coisas do homem. O apóstolo Paulo complementaria esta atitude revelando ainda mais alguns detalhes:

Mas, naquilo a que já chegamos, andemos segundo a mesma regra e sintamos o mesmo. Sede também meus imitadores, irmãos, e tende cuidado, segundo o exemplo que tendes em nós, pelos que assim andam. Porque muitos há, dos quais muitas vezes vos disse e agora também digo, chorando, que são inimigos da cruz de Cristo. O fim deles é a perdição, o deus deles é o ventre, e a glória deles é para confusão deles mesmos, que só pensam nas coisas terrenas. (Fl 3.16-19)

Ao Murdock dar inteira ênfase na prosperidade do tipo: plante dinheiro e receba cem vezes mais dinheiro, claramente demonstra o quanto está pensando nas coisas terrenas. Não é sem razão que, como parte da proposta, promete que o indivíduo ganhará casa ou carro novo, terá aumento de salário e de renda. O que Murdock não conta é que o pai da civilização terrena foi Caim, o primeiro homem a construir uma cidade. Sua descendência prosseguiu nesta vã tentativa de transformar a terra em um lugar melhor para se viver, desde que Deus fosse descartado, pois Jabal desenvolveu a pecuária (Gn 4:20), Jubal a cultura e o lazer (Gn 4:21) e Tubalcaim a indústria (Gn 4:22). Diferente é a perspectiva do apóstolo Pedro, que, após ter sido corrigido pelo Senhor, passou a ver a terra segundo aquilo que ela realmente é:

Eles voluntariamente ignoram isto: que pela palavra de Deus já desde a antiguidade existiram os céus e a terra, que foi tirada da água e no meio da água subsiste; pelas quais coisas pereceu o mundo de então, coberto com as águas do dilúvio. Mas os céus e a terra que agora existem pela mesma palavra se reservam como tesouro e se guardam para o fogo, até o Dia do Juízo e da perdição dos homens ímpios. (II Pd 3.5-7)

Murdock claramente demonstra que seu alvo é ser como os ricos deste mundo, fazer fortuna, ter muito dinheiro. Ele contorna o salmo 73, na qual o salmista também passou pela mesma crise que Mike por ter inveja dos soberbos e da prosperidade dos ímpios. O Salmista disse que quase perdeu a fé e só verdadeiramente compreendeu a verdade quando entrou na casa de Deus e entendeu o fim dos ímpios (Sl 73:17). Obvio que Mike não poderia falar destas coisas no arraial do santos sem fazer outra declaração: sem dinheiro não se faz a obra de Deus. Se considerarmos a necessidade do mundo, parece até ser verdadeira esta declaração, contudo, quando os discípulos queriam fazer o evangelho avançar, não faziam coletas, antes buscavam o poder do Espírito Santo.

Mike Murdock não poderia ter a mesma atitude dos cristãos primitivos, porquanto já dissera que o ministério do Senhor Jesus Cristo se resume a levar os homens ao céu, da terra os princípios divinos cuidam por si mesmo. O que é um princípio? É uma regra, lei ou preceito; a causa primeira de alguma coisa; uma proposição lógica na qual se apóia um raciocínio; proposição filosófica que serve de fundamento a uma dedução (Houaiss). A força da gravidade, por exemplo, segue uma lei, qualquer corpo solto no ar será inexoravelmente atraído para a terra, basta soltá-lo. Assim, quem obedecer a um princípio inexoravelmente alcançara o resultado a que se pretende. Se o objeto for solto, só por uma intervenção milagrosa da parte de Deus ele não cairá no solo, antes permanecerá flutuando, como foi o caso do machado recuperado pelo profeta Elizeu. Se tais princípios existissem deste modo, então não importa o motivo, planta-se dinheiro, colhe-se dinheiro, santidade não é absolutamente necessária, mesmo porque, para Murdock o Senhor Jesus Cristo está cuidando de levar almas para o céu tão somente, os princípios cuidam do resto.

Ocorre que o apóstolo Paulo ensina que o objetivo da lei é trazer ao homem o conhecimento do pecado (Rm 7:7), razão porque a lei serve de aio para conduzir o pecador a Cristo (Gl 3:24). Paulo acrescenta ainda:

Todos aqueles, pois, que são das obras da lei estão debaixo da maldição; porque escrito está: Maldito todo aquele que não permanecer em todas as coisas que estão escritas no livro da lei, para fazê-las. E é evidente que, pela lei, ninguém será justificado diante de Deus, porque o justo viverá da fé. (Gl 3.10,11)

Alguém pode perguntar: mas se o objetivo da lei é fazer conhecido a pecaminosidade do homem e se não há leis que conduzem ao sucesso, então o que dizer do salmo 1, que afirma a prosperidade do homem por meditar na palavra de Deus? A Bíblia não pode ser contradita, conhecer a palavra de Deus significa conhecer a Jesus Cristo, o centro da Bíblia, para qual tudo o mais foi escrito. Ninguém que afirme estar extraindo algo da palavra de Deus pode circunscrever a Jesus Cristo ao escanteio, declarando que os princípios são inexoráveis, funcionam por si mesmo. A história de Israel é rica em exemplos demonstrando que quando o povo quebrava seu relacionamento com Deus, o juízo vinha sobre ele até que se arrependessem e voltassem a buscar ao Senhor. O ensino do Senhor é apresentado nos seguintes termos:

Não ajunteis tesouros na terra, onde a traça e a ferrugem tudo consomem, e onde os ladrões minam e roubam. Mas ajuntai tesouros no céu, onde nem a traça nem a ferrugem consomem, e onde os ladrões não minam, nem roubam. Porque onde estiver o vosso tesouro, aí estará também o vosso coração. (Mt 6.19-21)

Estamos vivendo os últimos dias. A preparação para a vinda do anticristo está em processo acelerado, seu forte é mover a economia mundial para seu propósito, porquanto Satanás já oferecera ao próprio Senhor Jesus todos os reinos deste mundo e sua glória (Mt 4:8). Fazer da riqueza um alvo necessário é desconhecer que este mundo jaz no Maligno. Talvez seja importante voltar a verdadeira lição que o pai de Murdock procurou transmitir a ele: o que mais precisamos é de nos voltarmos a Deus em incessante intercessão, porquanto os dias são maus.

Clique e comente este texto

“Porque o salário do pecado é a morte, mas o dom gratuito de Deus é a vida eterna em Cristo Jesus nosso Senhor.” (Rm 6:23)

Clique para o Plano de salvação por pergunta

Clique para o Estudo para novo convertido - 01/10

Clique para o Estudo para batismo 01/10

Clique para o texto Ministração para libertação interior e perdão

Clique e de seu testemunho de aceitar a Cristo como Senhor e Salvador pessoal