Diminuir a fonteAumentar a fonte 18/11/2009
Gratidão
por Miriam Gonçalves Campanhã

www.cezar.azevedo.nom.br

“Ser grata a Deus não é a ausência de problemas e sim a certeza de quem está no comando. Só mesmo a presença de Deus em minha vida pode explicar meus sentimentos, força, confiança e a certeza de que tudo que acontece prospera para o bem daqueles que amam ao Senhor.”


Permita-me fazer um pequeno relato de minhas bênçãos. Em 1998 fui operada em caráter de emergência com uma hemorragia interna. Foi muito assustador, mas entreguei minha vida totalmente ao Senhor. Quando estava voltando da anestesia eu ouvia o som de coral cantando:

“Deus cuidará de ti,
Na tua dor,
Com todo amor,
Jamais te deixará!
Deus Cuidara de Ti!” (Hino 165)

Nisto percebi minha mãe me acariciando e perguntei-lhe o que o coral da minha igreja está fazendo ali, cantando. Minha mãe respondeu: “não tem ninguém aqui”, mas eu respondi que estava ouvindo sim. Foi quando percebi que era o coral dos anjos do Senhor me confortando naquele momento de dor.

Passei por muitos episódios similares a estes, contudo nunca perdi a fé e a confiança no Senhor. Todavia o pecado enraizado no meu ser me impedia de fazer as coisas certas...

Sofri muitas provações, cometi muitos erros por agir por mim mesma, sempre falava mais do que devia, mas nunca me esquecia da maravilhosa GRAÇA DE DEUS em minha vida. Nestes anos todos pedi muito ao Senhor para tirar as escamas de minha visão. Clamei, orei, lia o Salmo 27:

“O Senhor é a minha luz e a minha salvação; a quem temerei? O Senhor é a força da minha vida; de quem me recearei? Quando os malvados investiram contra mim, para comerem as minhas carnes, eles, meus adversários e meus inimigos, tropeçaram e caíram. Ainda que um exército se acampe contra mim, o meu coração não temerá; ainda que a guerra se levante contra mim, conservarei a minha confiança.

Uma coisa pedi ao Senhor, e a buscarei: que possa morar na casa do Senhor todos os dias da minha vida, para contemplar a formosura do Senhor, e inquirir no seu templo. Pois no dia da adversidade me esconderá no seu pavilhão; no recôndito do seu tabernáculo me esconderá; sobre uma rocha me elevará. E agora será exaltada a minha cabeça acima dos meus inimigos que estão ao redor de mim; e no seu tabernáculo oferecerei sacrifícios de júbilo; cantarei, sim, cantarei louvores ao Senhor.

Ouve, ó Senhor, a minha voz quando clamo; compadece-te de mim e responde-me.  Quando disseste: Buscai o meu rosto; o meu coração te disse a ti: O teu rosto, Senhor, buscarei. Não escondas de mim o teu rosto, não rejeites com ira o teu servo, tu que tens sido a minha ajuda. Não me enjeites nem me desampares, ó Deus da minha salvação.

Se meu pai e minha mãe me abandonarem, então o Senhor me acolherá. Ensina-me, ó Senhor, o teu caminho, e guia-me por uma vereda plana, por causa dos que me espreitam. Não me entregues à vontade dos meus adversários; pois contra mim se levantaram falsas testemunhas e os que respiram violência. Creio que hei de ver a bondade do Senhor na terra dos viventes.

Espera tu pelo Senhor; anima-te, e fortalece o teu coração; espera, pois, pelo Senhor.”

Este Salmo se tornou minha oração diária.

Também li o livro “A Oração de Jabes” e entendi que quando Deus quer abençoar, não importa as circunstâncias.

“Jabes foi mais ilustre do que seus irmãos (sua mãe lhe pusera o nome de Jabes, dizendo: Porquanto com dores o dei à luz).. Jabes invocou o Deus de Israel, dizendo: Oxalá que me abençoes, e estendas os meus termos; que a tua mão seja comigo e faças que do mal eu não seja afligido! E Deus lhe concedeu o que lhe pedira.” (I Cr 4: 9,10)

Após alguns anos, no final de 2003, estava com problemas de saúde e sem diagnóstico. Em sonho o Senhor me visitava dentro de uma UTI e me dizia: calma filha você passará momentos difíceis, mas cuidarei de ti.

No dia seguinte compartilhei com minha irmã e disse que não tinha entendido. Ela me disse: “Você está confundindo e lembrando o que passou em 98”. Guardei no meu coração a promessa do Senhor.

Passado alguns meses tive que fazer uma intervenção cirúrgica delicada. Foi muito difícil, porém sempre tive a certeza que Jesus estava no comando. Nunca desisti da minha fé, mesmo passando por grandes lutas.

Com o passar do tempo, minha saúde não dava mostra de melhoras, foi quando soube que fora vitima de erro médico. Fiquei muito depressiva, lutei com meu corpo, não aceitava minhas limitações, ainda queria ser dona de casa, esposa, mãe –  a melhor coisa da minha vida – e queria voltar a trabalhar, mas aos 38 anos soube que não conseguiria. Lutei muito contra meu “eu”, apesar de estar fraca achava que podia fazer algo por mim.

Usei o álcool, cerveja e tomava porque gostava muito do gosto amargo, sei que foi uma fuga. Achava que estava me divertindo, contudo causava grande vergonha e decepção para minha família. Pedia ao Senhor para me libertar, por outro lado não achava que estava me prejudicando. Hoje estou liberta dos desejos da carne, para honra e glória de Jesus.

Brigava comigo e contra as circunstâncias, cometi muitos abusos, esforços que me eram proibidos,cobrava-me muito pela incapacidade de levar uma vida normal.

Nesse meio tempo as dificuldades financeiras eram enormes, minhas duas filhas se formaram na faculdade por esforço delas e pela misericórdia divina. Elas conseguiram empregos dignos, e todos sabem que são uma benção. Em meio as lutas a mão do Senhor sempre esteve presente, mesmo quando eu não conseguia agir pelo Seu Espírito.

No início de 2008, quando minhas dores estavam insuportáveis, passando por diversas internações e no uso de muitos medicamentos, inclusive morfina, assumi minha incapacidade física e tive que fazer nova cirurgia para corrigir o que estava errado. Fui muito abençoada. Estava em estado de Graça, feliz confiante, realizada pelo sucesso de minha cirurgia e pelo sucesso profissional de minha filha.

Passados dois meses, ainda estava em repouso, recebi a notícia que minha filha tinha sofrido um grave acidente de carro e que teríamos que ir até o hospital em que ela estava. Viajamos 250 km. Quando cheguei tomei consciência da gravidade, pedi, clamei ao Senhor, fiz tudo o que estava ao nosso alcance para salvá-la, entreguei-a totalmente nas mãos do Senhor, clamei que se tivesse que me devolver que a queria por inteiro, pois ela não merecia ficar em estado vegetativo. E sabia que essa era minha maior prova de amor. Perdi essa batalha, e tive que devolver meu presente ao meu Senhor.

Essa ainda é a maior dor que sinto, a dor na alma, a saudade eterna, um buraco, uma falta, que aceito, mas as vezes não entendo, mas acima de tudo, tenho a certeza de que ela descansa no Senhor!

“Tudo tem a sua ocasião própria, e há tempo para todo propósito debaixo do céu.
Há tempo de nascer, e tempo de morrer; tempo de plantar, e tempo de arrancar o que se plantou;
tempo de matar, e tempo de curar; tempo de derribar, e tempo de edificar;
tempo de chorar, e tempo de rir; tempo de prantear, e tempo de dançar;
tempo de espalhar pedras, e tempo de ajuntar pedras; tempo de abraçar, e tempo de abster-se de abraçar;
tempo de buscar, e tempo de perder; tempo de guardar, e tempo de deitar fora;
tempo de rasgar, e tempo de coser; tempo de estar calado, e tempo de falar;
tempo de amar, e tempo de odiar; tempo de guerra, e tempo de paz. (EC 3:1-8.)

Após essa tragédia praticamente enlouqueci. Comecei a fazer tudo errado em relação a minha saúde. Eu dizia: “Senhor estou doente há tanto tempo, sofrendo dores intermináveis, e minha filha era saudável”. Cheguei a perguntar o porquê como se eu tivesse esse direito de perguntar.

Minha vida e família viraram de cabeça para baixo, queria muito me aproximar de minha outra filha, mas minha incapacidade de ver as coisas e minhas dores faziam eu agir pela carne.

Desenvolvi após isso uma doença que se chama distrofia muscular. Fui perdendo força e os movimentos das pernas. Meu casamento também terminou, sinto muita falta do meu companheiro, como éramos no princípio, não como vivíamos no fim. Acabou tudo, após muitas crises e abandono. Posso estar enganada com relação a isso, mas espero no Senhor, só Ele  poderá me dizer com o tempo. Agora estou sentindo uma paz de espírito que só pode vir do Senhor.

No último dia 09 fui submetida a 3ª cirurgia de coluna. Entrei muito confiante e sentindo PAZ, quando acordei da anestesia, tive a certeza que RECEBI O MEU MILAGRE. Estou curada para honra e glória do nosso Senhor Jesus Cristo!

O mais importante é que JESUS nunca abandona seus filhos! Agradeço a benção e se estou aqui quero muito louvar e engrandecer o nome do Nosso Senhor Jesus Cristo!

Estou engatinhando ainda, mas a confiança que tenho e apoio de muitos amigos e familiares suprem minhas necessidades, pois:

“A voz do Senhor ouve-se sobre as águas; o Deus da glória troveja; o Senhor está sobre as muitas águas.
A voz do Senhor é poderosa; a voz do Senhor é cheia de majestade.
A voz do Senhor quebra os cedros; sim, o Senhor quebra os cedros do Líbano. Ele faz o Líbano saltar como um bezerro; e Siriom, como um filhote de boi selvagem.
A voz do Senhor lança labaredas de fogo.
A voz do Senhor faz tremer o deserto; o Senhor faz tremer o deserto de Cades.
A voz do Senhor faz as corças dar à luz, e desnuda as florestas; e no seu templo todos dizem: Glória!
O Senhor está entronizado sobre o dilúvio; o Senhor se assenta como rei, perpetuamente. O Senhor dará força ao seu povo; o Senhor abençoará o seu povo com paz.” (Sl 29:3-11)

Clique e comente este texto

“Porque o salário do pecado é a morte, mas o dom gratuito de Deus é a vida eterna em Cristo Jesus nosso Senhor.” (Rm 6:23)

Clique para o Plano de salvação por pergunta

Clique para o Estudo para novo convertido - 01/10

Clique para o Estudo para batismo 01/10

Clique para o texto Ministração para libertação interior e perdão

Clique e de seu testemunho de aceitar a Cristo como Senhor e Salvador pessoal