Diminuir a fonteAumentar a fonte 30/08/2006
Dúvidas como fonte de aprendizado
por Cezar Andrade Marques de Azevedo

cartas_doutrina.gif

A CONSULTA

Querido Pastor.

As dúvidas são crescentes na minha cabeça. Paro para pensar e às vezes me pergunto se um servo de Deus realmente teria tantas dúvidas, mas em outras respostas o senhor me mostrou passagens em que os próprios profetas tinham dúvidas.

Três perguntas:

1) As ações do maligno se restringem unicamente ao plano espiritual?

2) Ele só pode agir na nossa mente ou também pode tocar na nossa saúde física?

3) Desde que comecei a me sentir cheio de medos e dúvidas comecei a sentir a saúde também, vou ao médico, mas também queria saber se isso é fruto de alguma outra coisa.

Às vezes olho para as pessoas do "mundo" que estão a minha volta. Uns parecem que nunca tiveram problemas como esse, estão sempre despreocupados com a causa de tudo, bem sucedidos, com uma boa vida social e amorosa... Já outros que conheço, também do mundo, uns até envolvidos com rock e etc, se sentem como eu me sinto, mas conseguem resolver seus problemas (às vezes) sem pensar em religião.

Pastor é possível ao homem que busca um relacionamento mais íntimo com Deus ver algo espiritual, tipo um anjo ou coisa parecida?

Desculpe por mais uma vez incomodar com minhas dúvidas.

Obrigado.

F.

A RESPOSTA

“E a quem perdoardes alguma coisa, também eu; pois, o que eu também perdoei, se é que alguma coisa tenho perdoado, por causa de vós o fiz na presença de Cristo, para que Satanás não leve vantagem sobre nós; porque não ignoramos as suas maquinações.” (II Co 2:10,11)

F.

Graça e paz.

Você tem navegado no site e tem me enviado suas consultas. Eu tenho este dispositivo no site por entender que as dúvidas são próprias do amadurecimento cristão e o Senhor tem me concedido a graça de responder sempre que estiver ao meu alcance. Eu não saberia lhe dizer quantas dúvidas já tive, mas sei que busquei para cada uma delas resposta na palavra de Deus.

Deixe-me dizer onde reside o problema da dúvida. Veja estes dois exemplos:

“Disse então Zacarias ao anjo:

Como terei certeza disso? Pois eu sou velho, e minha mulher também está avançada em idade.

Ao que lhe respondeu o anjo:

Eu sou Gabriel, que assisto diante de Deus, e fui enviado para te falar e te dar estas boas novas; e eis que ficarás mudo, e não poderás falar até o dia em que estas coisas aconteçam; porquanto não creste nas minhas palavras, que a seu tempo hão de cumprir-se.” (Lc 1:18-20)

Neste caso a dúvida de Zacarias foi, na verdade, incredulidade. Leia agora:

“Então Maria perguntou ao anjo:

Como se fará isso, uma vez que não conheço varão?

Respondeu-lhe o anjo:

Virá sobre ti o Espírito Santo, e o poder do Altíssimo te cobrirá com a sua sombra; por isso o que há de nascer será chamado santo, Filho de Deus.” Lc 1:34,35)

Neste caso a dúvida de Maria foi, na verdade, busca do entendimento para fortalecer sua fé.

Se você observar em ambas as dúvidas, praticamente não existe diferença nas perguntas, visto que Zacarias era de fato velho, bem como sua mulher e Maria era noiva e ainda virgem. Ambos perguntaram conscientes de suas limitações como seres humanos, contudo sabemos que Zacarias foi incrédulo porque o anjo o repreendeu, deixando-o mudo como juízo por sua incredulidade e Maria teve sua compreensão ampliada, sem nenhuma repreensão.

O que faz a diferença entre a dúvida que gera a incredulidade e a dúvida que fortalece a fé é que a primeira traz como foco a insistência em não aceitar o que já foi esclarecido por Deus. Veja como o anjo se dirigiu a Zacarias antes dele ter feito sua pergunta:

“Mas o anjo lhe disse:

Não temais, Zacarias; porque a tua oração foi ouvida, e Isabel, tua mulher, te dará à luz um filho, e lhe porás o nome de João” (Lc 1:13)

Observe agora a fala do anjo a Maria:

“Disse-lhe então o anjo:

Não temas, Maria; pois achaste graça diante de Deus. Eis que conceberás e darás à luz um filho, ao qual porás o nome de Jesus. Este será grande e será chamado filho do Altíssimo; o Senhor Deus lhe dará o trono de Davi seu pai; e reinará eternamente sobre a casa de Jacó, e o seu reino não terá fim.” Lc 1:30-33)

Note a diferença: para Zacarias o anjo disse que Zacarias com Isabel teriam um filho, portanto a fé aceita e obedece, não há mais o que questionar, visto que todo filho, para nascer necessariamente precisa de um pai e de uma mãe e ambos já foram identificados pelo anjo. Portanto questionar a idade avançada de ambos é uma prova de incredulidade.

No caso de Maria o anjo mencionou que ela teria um filho, não disse quem seria o pai. Neste caso ela precisava questionar com maior propriedade para não cometer nenhum engano e, ao ter a resposta do anjo, ficou sabendo que o pai não seria José, seu noivo, mas ela conceberia pelo poder do Espírito Santo, portanto, enquanto virgem. Neste caso foi uma pergunta para aumentar sua compreensão de fé.

Assim, aqui está a regra: dúvidas todos podem ter, agora quando a dúvida insiste em questionar a palavra de Deus quando ela já deixou claro a resposta, neste caso a dúvida se torna em incredulidade. Portanto não tenha medo de suas dúvidas, mas esteja sempre checando se você não está entrando no perigoso terreno da incredulidade, que acontece quando você já entendeu a resposta, mas persiste em se fazer cego a ela.

Agora, descansa seu coração, nenhuma de suas perguntas denota incredulidade, mas busca de entendimento para fortalecer sua fé, assim, vamos às respostas, retomando antes as perguntas.

1) As ações do maligno se restringem unicamente ao plano espiritual?

2) Ele só pode agir na nossa mente ou também pode tocar na nossa saúde física?

Estas duas perguntas podem ser respondidas com o mesmo exemplo. Creio que você conhece a história de Jó, conforme ela se passa no primeiro e segundo capítulo. Satanás pede autorização a Deus para agir contra a vida de Jó. No primeiro capítulo ele pede para destruir as riquezas de Jó e matar seus filhos; no segundo ele pede para tirar a saúde de Jó, em ambas Deus autoriza, dando-lhe limites. Portanto Satanás tem o poder para ir além do plano espiritual, interferindo, inclusive na saúde do indivíduo.

Agora, existem três coisas que você precisa saber acerca da ação do Maligno. A primeira é que ele está sempre procurando uma oportunidade para agir contra a nossa vida:

“Sede sóbrios, vigiai. O vosso adversário, o Diabo, anda em derredor, rugindo como leão, e procurando a quem possa tragar; ao qual resisti firmes na fé, sabendo que os mesmos sofrimentos estão-se cumprindo entre os vossos irmãos no mundo.” (I Pd 5:8,9)

A segunda é que ele é limitado para agir contra a nossa vida, só podendo atuar dentro dos limites de nossas forças:

“Não vos sobreveio nenhuma tentação, senão humana; mas fiel é Deus, o qual não deixará que sejais tentados acima do que podeis resistir, antes com a tentação dará também o meio de saída, para que a possais suportar.” (I Co 10:13)

Foi o que aconteceu com Jó, apesar do modo terrível como tudo se abateu sobre ele, ainda assim ele teve forças para resistir e não se achou em sua boca delito algum contra Deus. A terceira coisa que você precisa saber é que sua vida está protegida pela intercessão do Senhor Jesus Cristo:

“Não rogo que os tires do mundo, mas que os guardes do Maligno. Eles não são do mundo, assim como eu não sou do mundo. Santifica-os na verdade, a tua palavra é a verdade. Assim como tu me enviaste ao mundo, também eu os enviarei ao mundo. E por eles eu me santifico, para que também eles sejam santificados na verdade.” (Jo 17:15-19)

Agora você pode entender o que Paulo disse acerca de conhecer os ardis de Satanás, pois sabemos pela palavra de Deus que ele está pronto a agir contra nossa vida, que nunca vai fazer nada além de nossas forças e que nós temos a proteção de Deus, por isso nosso coração sente-se confortado. Quanto a sua outra pergunta:

3) Desde que comecei a me sentir cheio de medos e dúvidas comecei a sentir a saúde também, vou ao médico, mas também queria saber se isso é fruto de alguma outra coisa.

O medo é terrível adversário. Dizem que há 365 vezes a expressão “não temas” na Bíblia, uma para cada dia do ano. Quando Jesus entrou no barco com os discípulos, tirou uma soneca. Em dado momento o mar ficou revolto, leia o que aconteceu:

“E eis que se levantou no mar tão grande tempestade que o barco era coberto pelas ondas; ele, porém, estava dormindo. Os discípulos, pois, aproximando-se, o despertaram, dizendo:

Salva-nos, Senhor, que estamos perecendo.

Ele lhes respondeu:

Por que temeis, homens de pouca fé?

Então, levantando-se repreendeu os ventos e o mar, e seguiu-se grande bonança. E aqueles homens se maravilharam, dizendo:

Que homem é este, que até os ventos e o mar lhe obedecem?” (Mt 8:24-27)

Quem fez o mar ficar revolto? Seria o diabo? Não sabemos, uma coisa é certa: Jesus estava dentro do barco com os discípulos assim como está com você. Só que a simples presença do Senhor no barco não foi o suficiente para impedir os discípulos ficarem com medo. Precisou que eles presenciassem o Senhor fazer acalmar a tempestade para perderem o medo. O que quero lhe dizer é o seguinte: o diabo tem realmente poder para tocar na saúde, mas nós também, se não adotarmos os cuidados elementares. Por exemplo, muitos jovens morrem cedo por ataque cardíaco por terem uma vida sedentária e não podemos dizer que esta morte foi provocada pelo diabo.

A melhor regra a ser observada é esta: se você sente alguma enfermidade, vá ao médico e ouça o que ele diz: Se ele fizer o diagnóstico, identificar a moléstia e receitar o remédio, atenda ao médico e use a medicação conforme a prescrição. Muito dificilmente você teria uma enfermidade provocada diretamente pelo diabo porque são poucos os que são atacados diretamente por ele. É que usualmente ele usa de opressão, não de um ataque frontal contra a saúde de alguém.

Quanto a sua penúltima pergunta: Um ímpio pode sim, resolver seus conflitos sem o uso de religião. Qualquer empresa bem sucedida é uma prova disso. Agora, uma regra importante: todo problema é um problema de sabedoria de Deus, porque por meio deste problema você pode aprender algo do Senhor. É uma escolha na vida, você pode tentar solucionar por sua própria sabedoria ou clamar a sabedoria de Deus. A diferença é que respondendo com base na sabedoria de Deus você cresce em sua fé. Leia:

‘E a vida eterna é esta: que te conheçam a ti, como o único Deus verdadeiro, e a Jesus Cristo, aquele que tu enviaste.” (Jo 17:3)

Observe que a vida eterna, portanto desde o momento que você aceitou a Cristo até a eternidade futura, tudo visa fazer você crescer no conhecimento de Deus e do Senhor Jesus Cristo. Os casos que você citou, de amigos que resolvem sem religião é que eles não têm nem como fazer de modo diferente, pois o evangelho, para o homem natural é loucura pura, mas para nós é o poder de Deus para a salvação.

Sua última pergunta sobre a possibilidade de ver anjos. Eu lhe digo o seguinte: se ocupe em conhecer a Deus. Se o Senhor levar a ter experiências como ver um anjo, glórias a Deus por isso, mas não busque uma experiência desta por você mesmo por uma razão muito simples: o diabo pode aproveitar de sua ansiedade e criar alguns embaraços. Como você já leu que a vida eterna é conhecer a Deus, melhor seguir o conselho de Paulo:

“Mas o que para mim era lucro passei a considerá-lo como perda por amor de Cristo; sim, na verdade, tenho também como perda todas as coisas pela excelência do conhecimento de Cristo Jesus, meu Senhor; pelo qual sofri a perda de todas estas coisas, e as considero como refugo, para que possa ganhar a Cristo, e seja achado nele, não tendo como minha justiça a que vem da lei, mas a que vem pela fé em Cristo, a saber, a justiça que vem de Deus pela fé; para conhecê-lo, e o poder da sua ressurreição e a e a participação dos seus sofrimentos, conformando-me a ele na sua morte, para ver se de algum modo posso chegar à ressurreição dentre os mortos.” (Fl 3:7-11)

Um abraço fraternal, na paz do Senhor.

Cezar

Pode comentar