Diminuir a fonteAumentar a fonte 11/07/2008
O cântico dos cânticos, que é do Cezar - 7
por Cezar Andrade Marques de Azevedo

karin.jpg

1 - Ó mulher desejável! Karin Elizabeth, como são lindos seus pés! Moldados conforme o desejo do meu coração. As curvas dos seus quadris são como jóias lapidadas pelo ourives.

2 - O seu umbigo é uma taça onde não falta vinho, cujo sabor se aprimora cada ano, completando hoje, 11 de julho, 21 anos de tanta felicidade. A sua cintura é como as curvas do rio conduzindo-me às fontes dos prazeres.

3 - Os seus seios, de amor guardados, são tesouros abertos em lugares ocultos

4 - O seu pescoço é roliço e robusto, fortaleza e dignidade são os seus adornos, nele encontro amparo e proteção. Seus olhos brilham de amor quando me vêem. O seu nariz me faz desejar ter o cheiro das flores do campo.

5 - A sua cabeça é como um farol a me guiar. Os seus cabelos lisos são como as luzes do por do sol, eles me prendem sob seu busto.

6 - Como você é linda, minha querida! Como você me dá prazer! Como é agradável a sua presença!

7 - Você é tão graciosa como a gazela do campo; os seus seios são como cachos de uvas.

8 - Vou subir na videira e colher os seus frutos. Os seus seios são para mim como cachos de uvas. É doce beijar a sua boca,

9 - e os seus beijos são como vinho delicioso.

Então que o meu querido beba suavemente deste vinho que escorre entre os seus lábios e dentes.

10 - Eu sou do meu amado, e ele me quer.

11 - Venha, querido, vamos para o campo; vamos passar a noite nas plantações de uvas.

12 - Vamos levantar cedo e olhar as parreiras, para ver se elas já começaram a brotar. Veremos se as flores estão se abrindo e se as vides já estão em flor. Ali eu lhe darei o meu amor.

13 - Podemos sentir o perfume das uvas. Todas as frutas saborosas estão na nossa porta. Querido, eu guardei para você todo tipo de frutas, as frutas frescas e as secas